NO PRÓXIMO SÁBADO, ÀS 16:00, NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE SESIMBRA: LANÇAMENTO DE «A SERRA DA ARRÁBIDA NA POESIA PORTUGUESA», DE ANTÓNIO MATEUS VILHENA E DANIEL PIRES

23-06-2014 20:46

É, por certo, um dos acontecimentos editoriais mais marcantes deste ano de 2014, e o primeiro lançamento, fruto da proverbial parceria estabelecida entre o projecto António Telmo. Vida e Obra e o Centro de Estudos Bocageanos, casa que edita a obra, tem lugar em Sesimbra, já no próximo sábado, às 16:00, na Biblioteca Municipal, preenchendo toda a quarta TARDE TÉLMICA. Referimo-nos à monumental segunda edição, corrigida e aumentada, de A Serra da Arrábida na Poesia Portuguesa, de António Mateus Vilhena e Daniel Pires, antologia que reúne cerca de oitenta autores, num arco cronológico que vai de 1554 até ao ano em curso. Presente, além dos autores, na Sala Polivalente da Biblioteca Municipal estará a poetisa Virgínia Costa, que dirá poemas reunidos neste livro, já o nono volume da Colecção Clássicos de Setúbal. 

Uma parte considerável deste volume abrange grandes autores nascidos nos séculos XVI, XVII, XVIII e XIX, como Camões, Frei Agostinho da Cruz, D. Francisco Manuel de Melo e Alexandre Herculano. Entre os contemporâneos concedeu-se o merecido destaque a Sebastião da Gama, o poeta que, depois de Frei Agostinho da Cruz, mais enalteceu aquela que designou por "Serra-Mãe". 

A literatura oral e tradicional está representada -- para citar apenas dois casos -- por António Maria Eusébio, o Calafate (1820-1911), cantor ímpar das Festas a Nossa Senhora da Arrábida, e por um conjunto de três textos anónimos, datados da segunda metade do século XIX, também a elas dedicados. 

Também António Telmo está presente nesta antologia com a singela, mas profunda, quadra "Foi na Serra da Achada", página inaugural das suas Congeminações de um Neopitagórico, aqui objecto de especial anotação por parte de Pedro Martins, que também colabora na obra assinando os verbetes biobibliográficos relativos aos sesimbrenses Joaquim Preto Guerra (Rumina) e Romeu Embaixador. Joaquim Brandão, um sesimbrense que foi presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Setúbal após a proclamação da República, é outro dos vates da camonina Piscosa presentes em A Serra da Arrábida na Poesia Portuguesa, onde também Ruy Ventura, membro do nosso projecto, e Avelino de Sousa, amigo de António Telmo, são autores antologiados.   

Contactos

António Telmo. Vida e Obra antoniotelmovidaeobra@gmail.com