POEMAS. 04

03-12-2014 09:15

Ao António Reis Marques

 

Mestre, vou-me matar

Dá-me espada ou sabre.

Nada se fecha para mim

Porque nada se abre.

Ainda se eu ouvisse

O bater de uma porta

Soando na noite morta,

Sentia-me do lado de cá…

E talvez de súbito me visse

Da porta para lá.

 

António Telmo

Contactos

António Telmo. Vida e Obra antoniotelmovidaeobra@gmail.com