POEMAS. 06

12-12-2014 15:21

Ao Cagica Rapaz

 

Meu barco quisera

Fazer sem martelo

Sem prego sem ferro

Como a Deus dera.

Só a madeira

Firme e sesgada

As tábuas unidas

Pela força do nada.

E o som que se ouvisse

Fosse o que repetisse

A palavra perdida

Que um marinheiro

Um dia me disse

Palavra que não digo

Nem ao maior amigo. 

 

António Telmo 

Contactos

António Telmo. Vida e Obra antoniotelmovidaeobra@gmail.com